Áreas verdes urbanas: desafios da cidade, soluções da natureza

Observatório do Amanhã
Áreas verdes urbanas: desafios da cidade, soluções da natureza
Início: 
quinta, 26 de janeiro de 2017
Término: 
quinta, 26 de janeiro de 2017
Local:
Observatório do Amanhã
Horário:
qui 15h-16h

Parques, praças, jardins, canteiros embelezam as cidades. Mas não só. As áreas verdes urbanas são importantes para a qualidade de vida da população, melhorando o ar, a água e o clima, evitando as ilhas de calor, a aridez e a poluição. Refúgios para outras espécies, esses espaços ainda criam corredores verdes que integram as cidades à natureza. Para falar sobre a importância da conservação e os desafios da ampliação das áreas verdes urbanas, o Museu do Amanhã promove um bate-papo com o economista Sergio Besserman e o engenheiro florestal Fabio Scarano, dia 26 de janeiro, às 15h, no Observatório do Amanhã.

No encontro, Besserman, que é presidente do Jardim Botânico do Rio, irá comentar os benefícios da preservação de áreas verdes, enquanto Scarano, diretor executivo da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS), focará sua apresentação nos desafios para a ampliação dessas áreas, especialmente no contexto do enfrentamento das mudanças climáticas. Professores universitários, Besserman e Scarano mostrarão exemplos do Rio de Janeiro e de outras grandes cidades ao redor do mundo.

O evento acontece num momento em que as áreas verdes estão na pauta do desenvolvimento urbano sustentável. Foram destaque na Nova Agenda Urbana Global, lançada pelas Nações Unidas, para a construção de cidades mais amigáveis aos seus cidadãos. Antes, já haviam sido incluídas numa lista de dez iniciativas urbanas necessárias para uma urbanização sustentável pelo Fórum Econômico Mundial. Ao mesmo tempo em que os desafios urbanos não param de crescer: atualmente, 80% das cidades do mundo tem o ar prejudicial à saúde, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o aumento da temperatura vem quebrando recordes mês a mês, de acordo com a Nasa, e o stress hídrico provoca graves problemas econômicos, ambientais e sociais, como a ONU-Água está reportando.