'Os mais novos conheceram um novo herói: Santos Dumont'

Exposições Temporárias
Gringo Cardia, curador da exposição, fala sobre Santos Dumont / Foto: Allan Melo - Museu do Amanhã

Por Emanuel Alencar*

Inaugurada há quase um mês no Museu do Amanhã, a exposição "O poeta voador", sobre a vida e as invenções do brasileiro Alberto Santos Dumont, despertou para o público mais jovem a importância da história do cientista. A análise é do artista e curador da mostra Gringo Cardia, que deu palestra no Museu neste sábado, dia 21. Ao lado do consultor científico da exposição, o biofísico Henrique Lins de Barros, Gringo contou que o trabalho de pesquisa exigiu um ano e meio de pesquisas.

- Precisei estudar profundamente a obra de Santos Dumont para montar a exposição. Pensei principalmente nas crianças, que nunca tinham ouvido falar no inventor. Procuramos fazer atividades lúdicas, como o arremesso de aviões de papel, para mostrar que o sonho e a imaginação estão ao alcance de todos e conduziram esse brasileiro fantástico. A ideia foi usar uma linguagem simples e acessível. Creio que os mais novos conheceram um novo herói: Santos Dumont - afirmou Gringo Cardia, que respondeu a perguntas do público.

O cientista intuitivo

Numa tarde em que o Museu do Amanhã festejava a marca dos 500 mil visitantes em pouco mais de cinco meses de funcionamento, o auditório recebeu muita gente interessada nos bastidores da montagem de "O poeta voador" e na vida de Santos Dumont. Um dos maiores estudiosos do inventor, Henrique Lins de Barros chamou a atenção para o fantástico processo produtivo do criador do 14 bis:

- Santos Dumont nunca teve título de doutor, mas possuía conhecimentos fantásticos de mecânica e do funcionamento de motores. Ainda não temos certeza de onde vieram esses saberes geniais, mas certamente ele agia com muita intuição.

Acompanhado de um grupo de amigos, o aeronauta aposentado José Carlos da Silva, de 59 anos, elogiou a iniciativa do Museu e se disse ainda mais impressionado com a genialidade de Santos Dumont:

- A palestra foi fantástica, e espero que o Museu faça mais eventos assim. Embora conhecesse a história dele, pude ter noção mais exata do quão espetacular foi Santos Dumont, muito por trabalhar com a intuição.

* Emanuel Alencar é editor de Conteúdo do Museu do Amanhã