Amanhãs

Exposição Principal
Área Amanhãs da Exposição Principal, com paredes em formato origami, coberta por telas em ângulos e, ao centro, uma mesa interativa

A área dos Amanhãs foca nas grandes tendências globais onde existirão mais pessoas no mundo, vivendo por muito mais tempo. Cidades gigantescas e hiperconectividade. A convivência com pessoas das mais diferentes culturas e modos de vida fará parte do nosso cotidiano. Como e onde vamos viver? O visitante é convidado a pensar nas questões de sustentabilidade e convivência em três espaços: Sociedade, Planeta e Humano.

Há muitos Amanhãs possíveis, carregados de imprevistos. Nas próximas décadas seremos provavelmente ainda mais numerosos, alguns vivendo por muito mais tempo. Habitaremos megacidades, mas com fortes desigualdades sociais. Viveremos em um planeta com intensas transformações do clima e da biodiversidade. Seguiremos ampliando as fronteiras do conhecimento e aperfeiçoando as tecnologias, modificando nossos corpos e mentes e expandindo nossa presença no Sistema Solar. Em um futuro de incertezas e desafios, construiremos Amanhãs a partir de nossas próprias escolhas, individuais e coletivas. 

Amanhãs é definido pela pergunta “Para onde vamos?”. As simulações, estimativas e projeções associadas a esse momento estão dispostas num “origami”. Nele estão demarcadas três áreas, apresentando seis tendências que vão moldar o futuro nas próximas décadas. As áreas demarcadas dizem respeito ao conviver (sociedade), ao viver (planeta), e ser (pessoa). As seis tendências são as mudanças no clima; o aumento da população mundial em cerca de mais 3 bilhões de pessoas nos próximos cinquenta anos; a integração e diferenciação dos povos, regiões e pessoas; a alteração dos biomas; o aumento do número, da capacidade e da variedade dos artefatos por nós produzidos; e, por último, a tendência à expansão do conhecimento.

Estas tendências estão apresentadas numa perspectiva histórica por meio de jogos, entre eles o Jogo das Civilizações, baseado num modelo estudado pela NASA. Examinando exemplos do passado, o desenvolvimento e o colapso das civilizações poderia ser medida a partir de variáveis como o consumo dos recursos, o tamanho da população e a desigualdade social. No jogo, é possível controlar certos parâmetros rumo ao futuro para, assim, fazer uma civilização perseverar ou colapsar.