Inspira Ciência: Laboratório portátil de planos de aulas

Observatório do Amanhã
Em mais um passo no fortalecimento da educação científica, a segunda edição do Inspira Ciência, programa de formação de professores da Educação Básica realizado pelo Museu do Amanhã e o British Council com o patrocínio da IBM, acaba de divulgar um livro destinado aos professores para estimular a produção de planos de aulas criativos e inovadores. Clique aqui para ter acesso à versão digital.


Produzido em colaboração com os participantes da primeira edição do programa, que ocorreu em 2018, a publicação é inspirada pela ideia de um laboratório portátil no qual os professores podem usar planos de aulas criados no Inspira Ciência e colocar a mão na massa para desenvolverem suas próprias aulas. O livro oferece também um mapa da Exposição Principal para os professores realizarem suas aulas no Museu do Amanhã. Indica ainda exposições e livros digitais do museu que podem ser utilizados nas escolas.


“Este é um livro que aproxima o Museu do Amanhã e as escolas para um ensino de Ciências vibrante”, explica Alfredo Tolmasquim, diretor de Desenvolvimento Científico do Museu. “Nosso objetivo é oferecer ferramentas aos professores e professoras que garantam aulas mais dinâmicas, experimentais e contextualizadas seguindo as novas tendências da educação científica”, conclui.


Investigação da qualidade da água da Baía de Guanabara com os estudantes


O livro traz três planos de aulas produzidos pelos professores participantes do Inspira Ciência. Entre eles, destaca-se uma proposta de investigação da qualidade da água da Baía de Guanabara. Combinando Biologia, Química e Educação Ambiental, esse plano estimula os estudantes a investigarem a fundo as causas da poluição da baía e os seus efeitos sobre a biodiversidade e a saúde humana. Para isso, tem etapas de pesquisa de campo que incluem a coleta e análise de amostras de água. O plano sugere também o uso do interativo ‘Baías de Todos Nós’, do Museu do Amanhã, para os estudantes conhecerem a Baía de Guanabara e mais outras quatro baías em outros países e entenderem que a despoluição é difícil, mas não é impossível.


Para um dos autores desse plano de aula, o professor de Química do Colégio São Cristóvão Fábio Lucas, “o contato com professores de outras disciplinas durante o Inspira Ciência possibilitou a criação de um plano de aula interdisciplinar, que, por um lado, ensina conceitos de Ciências e práticas de pesquisa, incluindo a Química e a Biologia, e, por outro, ensina a importância do engajamento dos estudantes com o tema do desenvolvimento sustentável”.


“Eu torço para que mais e mais professores utilizem esse plano e todo o livro do Inspira Ciência em suas escolas”, diz o professor.

 

 

A nova edição do Inspira Ciência oferece oportunidade de formação a 60 professores da Educação Básica, que, juntos, lecionam para mais de 18 mil estudantes, confira o que rolou em nosso primeiro encontro .


Escrito por: Davi Bonela é pesquisador da Diretoria de Desenvolvimento Científico do Museu do Amanhã 

 

 

O Museu do Amanhã é um museu de ciências aplicadas que explora as oportunidades e os desafios que a humanidade terá de enfrentar nas próximas décadas a partir das perspectivas da sustentabilidade e da convivência. Inaugurado em dezembro de 2015 pela Prefeitura do Rio, o Museu do Amanhã é um equipamento cultural da Secretaria Municipal de Cultura, que opera sob gestão do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG). Exemplo bem-sucedido de parceria entre o poder público e a iniciativa privada, o Museu do Amanhã já recebeu mais de 4 milhões de visitantes desde a inauguração. Tendo como patrocinador máster o Banco Santander, a Shell como mantenedora e uma ampla rede de patrocinadores que inclui empresas como IBM, Engie, Lojas Americanas, Grupo Globo e Renner, o museu foi originalmente concebido pela Fundação Roberto Marinho.