Pensando o Amanhã - volume 2

Observatório do Amanhã

Museu do Amanhã e IDG – Instituto de Desenvolvimento e Gestão acabam de divulgar o segundo livro da série Pensando o Amanhã, que aborda as oportunidades e os desafios que a humanidade terá que enfrentar nas próximas décadas. Entre os temas desta edição estão as mudanças climáticas, a redução da biodiversidade, os obstáculos para a saúde global, a importância de uma educação de qualidade, da equidade de gênero e do apoio às novas famílias. Garanta sua versão digital gratuita - clique aqui


Ao todo, são 12 artigos assinados por renomados pesquisadores e pesquisadoras das ciências naturais e sociais, como Suzana Khan, Carlos Joly, Fabio Scarano, Luiz Drude e Ana Lodi, além de líderes de observatórios e centros de pesquisa, entre eles Carlos Rittl, do Observatório do Clima, Jailson Silva, do Observatório de Favelas, e Eduardo Faerstein, do Centro Brasil de Saúde Global. O livro traz ainda artigos do presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, do representante do Fundo de População das Nações Unidas no Brasil, Jaime Nadal, e uma entrevista sobre os desafios da alimentação com o médico e professor da USP Carlos Augusto Monteiro.


“A reunião de tantos especialistas em um mesmo livro mostra que o Museu do Amanhã se tornou uma referência para a reflexão sobre o futuro do Brasil e do mundo com base na ciência, tecnologia e inovação”, diz o diretor de Desenvolvimento Científico do Museu Alfredo Tolmasquim. “Pensando o Amanhã é uma fonte de informação sobre os desafios globais e também de inspiração para a busca por soluções”, complementa. “Creio que seja uma leitura obrigatória para professores, pesquisadores e estudantes que tenham interesse nas questões mais atuais sobre a sustentabilidade e a convivência em um mundo que passa por transformações aceleradas”, conclui. 


Leia também o primeiro volume da série


A versão digital do primeiro volume de Pensando o Amanhã também está disponível gratuitamente para os leitores. Entre outros autores, estão a ex-ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o diretor-geral da FAO - Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, José Graziano, e o membro do IPCC, Carlos Nobre. O entrevistado dessa edição é o geólogo Colin Waters, membro do grupo de trabalho da União Internacional de Ciências Geológicas  que está buscando a formalização do Antropoceno como uma nova época geológica do planeta - baixe gratuitamente aqui


Escrito por: Davi Bonela, analista sênior de Desenvolvimento Científico do Museu do Amanhã | IDG – Instituto de Desenvolvimento e Gestão.

 

 

O Museu do Amanhã é um museu de ciências aplicadas que explora as oportunidades e os desafios que a humanidade terá de enfrentar nas próximas décadas a partir das perspectivas da sustentabilidade e da convivência. Inaugurado em dezembro de 2015 pela Prefeitura do Rio, o Museu do Amanhã é um equipamento cultural da Secretaria Municipal de Cultura, que opera sob gestão do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG). Exemplo bem-sucedido de parceria entre o poder público e a iniciativa privada, o Museu do Amanhã já recebeu mais de 4 milhões de visitantes desde a inauguração. Tendo como patrocinador máster o Banco Santander, a Shell como mantenedora e uma ampla rede de patrocinadores que inclui empresas como IBM, Engie, Lojas Americanas, Grupo Globo e Renner, o museu foi originalmente concebido pela Fundação Roberto Marinho.